sábado, 20 de março de 2010

Heróis da Fé

herois da fe A fé cristã ao longo de sua trajetória pelos dois últimos milênios, tem levantado milhares e milhares de obreiros tementes a Deus, alguns deles se destacaram pela vontade interior de aumentar o rebanho cristão através da pregação do genuíno evangelho de Jesus Cristo, sem se corromper com as ofertas do inimigo, que em todos os momentos tentou parar a obra de Deus, realizada através destes verdadeiros cristãos. Pessoas que deram a própria vida pelo amor a obra de Deus.

O livro Heróis da Fé de Orlando Boyer, selecionou vinte destes obreiros que atuaram nos últimos seiscentos anos da nossa história, pessoas que foram fundamentais no grande avivamento da nossa fé. Este livro que vendeu mais de cem mil exemplares e traz a biografia de vinte destes heróis, contada de uma forma um pouco reduzida, mas com os maiores feitos destes homens. Conta desde a sua conversão, alguns casos desde o nascimento e outros desde o inicio de seu ministério, mas todos os casos iniciam quando Deus decide usá-los em prol da sua obra.

Lendo este livro o primeiro sentimento que nasce em nosso coração, é uma aflição terrível pelas almas que ainda estão presas nas mãos do inimigo, o segundo sentimento que aflora em nossas vidas é: – O que eu estou fazendo por estas vidas? Esta reflexão que o livro nos leva a fazer é muito importante para a nossa vida. Isto é o que nos leva a batalhar incansavelmente em favor a obra de evangelismo, sem ficar preocupado em receber alguma glória por isso. Como podemos observar no livro “o maior reconhecimento vem de Deus e não dos homens”.

Em toda a sua existência, a Igreja de Cristo teve como missão principal, levar o amor de Deus aos “cativos”, e como definimos este “cativo”? São aquelas pessoas que estão nas mãos da mã influência que, defendemos aqui, ser obra ativa do  inimigo. Acreditados realmente que estas vidas estão perecendo, e levar está salvação é tarefa de todos os cristão desde os tempos da Igreja primitiva, desde os Apóstolos, passando pela Idade média, moderna e contemporânea a nossa época atual. Não podemos deixar esta função primaria da Igreja em segundo plano. É nossa obrigação levar o amor de Deus as pessoas.

Mas quando olhamos para a nossa época atual, podemos ver que essa função não esta sendo levada a sério, estamos diante de uma estagnação terrível, onde a palavra de Deus só é pregada nos “grandes” templos das nossas cidades. Enquanto o povo que realmente precisa do alimento está passando fome e o povo evangélico fica brincando de ver quem é que prega melhor na Igreja, em vez de sair até as almas que estão morrendo nas favelas, nos becos, nos bairros pobres e porque não nas mansões e condomínios particulares, onde está uma alma carente, ali é que deve estar os verdadeiros pregadores do evangelho, más pelo contrário estamos pregando somente para já crentes, é a época dos “Conventos Evangélicos”, parece até que estamos dentro de uma redoma de vidro. Outrossim temos que pregar para o necessitado e o livro “Heróis da Fé” nos move por este sentimento glorioso.

Entre as histórias relatadas no livro está à história de Jorge Whitefield, um homem que tinha no seu coração vontade de ganhar almas para o Senhor, calcula-se que ele pregou um sermão para mais de cem mil pessoas na cidade de Cambuslang, na Escócia e que deste publico cerca de dez mil pessoas aceitaram Jesus como único salvador de suas vidas, no final de sua pregação. É de pessoas como Jorge Whitefield que estamos precisando hoje.

O que se falar então de Martinho Lutero, um homem verdadeiramente compromissado com a palavra de Deus, um homem que não se apegou a nada desde mundo, somente a verdade que recebeu de Jesus Cristo através de Sua palavra, o livro conta que ele dava a sua própria refeição para as pessoas carentes, também não podemos ficar sem frisar, que no mês de outubro de mil quinhentos e dezessete, teve muita coragem quando desafiou o Papa Leão X, ao estampar na porta da Igreja de Wittenberg a suas noventa e cinco teses, contra as vendas de indulgência promovida pelo Papa Leão X. Este movimento foi o que desencadeou a reforma protestante do século XVI. Homem muito corajoso e compromissado com Deus.

No século dezessete, surgiu um homem chamado João Bunyan, que fazia um belo trabalho na obra de Deus, salvando milhares e milhares de vidas no meio do seu povo, o livro reporta que Satanás vendo que estava sendo muito prejudicado com os atos do santo homem, ficou tão furioso com ele, que lançou contra o servo de Deus, inúmeras calunias e difamações, acusações que não tinha nenhum fundamento, como chamá-lo de feiticeiro, cangaceiro, que vivia amancebado, tinha duas esposas e que seus filhos eram bastardos. Mais nunca deixou que estas falsas acusações, tirassem o seu foco que estava na seara do Reino de Deus. Mais as perseguições se intensificaram, chagando ao ponto de acusá-lo de não estar respeitando o regulamento dos cultos da Igreja Anglicana oficial, acabou sendo preso na prisão de Bedford, com a pena de prisão perpétua, que somente seria revogada se ele se comprometesse a nunca mais pregar o evangelho, a respeito de sua condenação ele escreveu Se me soltarem hoje, pregarei amanhã com a ajuda de Deus”. Isso mostra que ele era somente comprometido com apalavra de Deus nem que para isso, tivesse que morrer na prisão.

Este amor pela obra de Deus e pelas vidas que perece no caminho errante, é o que estimula estas preciosas pessoas a se colocar de pé e enfrentar as mais difíceis e inusitadas situações, querendo sempre almejar as vidas que perecem nas mãos do inimigo.

O livro conta ainda a história do saudoso João Wesley “a tocha tirado do fogo”, conta que quando esteve na América do Norte, na cidade de Geórgia, pregando para os índios, relata que, durante dez dias que esteve pregando na cidade, o salão de baile ficou vazio e a igreja ficou lotada, de pessoas carentes da genuína palavra que vem do trono de Deus, e as pessoas foram se convertendo ao cristianismo e sendo salvas para a glória de Jesus Cristo.

É de homem assim que nós precisamos em nossos dias, é de ficar boquiaberto com os números de João Wesley, o livro relata que ele pregou cerca de setecentos e oitenta sermões por ano. Vendo com as nossas atividades hoje em dia perece um número impossível de se alcançar, más devemos sempre nos espelhar neste grande homem que reavivou a obra de Deus.

O primeiro missionário nos moldes atuais de missões foi Guilherme Carey e o livro não podia deixá-lo de fora. Através de um sermão que ele pregou, baseado no livro de Isaias, conseguiu conscientizar a igreja a investir em missões aos “pagãos”. Quando ele estava no campo um dos seus feitos foi fazer a tradução da Bíblia Sagrada em diversas línguas, calcula-se que ele traduziu a Bíblia para mais de um terço dos habitantes do nosso planeta.

Outro citado no livro e que não podemos deixar de fora e Christmas Evans, que em um dos seus famosos sermões, retratou o endemoniado gadareno tão fielmente que o público admirou grandiosamente, na hora da libertação do filho, quando voltou para casa curado o auditório rompeu em grande riso e choro, outras pessoas disseram que o povo ficou como uma cidade abalada por um terremoto, correndo para fora e prostando-se em terra e clamando a Deus.

Estas e outras historias que estão relatadas no livro “Heróis da Fé” nos faz refletir como nós estamos se comportando em meio a todas as investidas do “inimigo”, este mesmo que sempre vai querer que nos afastemos, assim deixamos de agir em prol da obra cristã, porque ele sabe que quando nós nos colocamos na posição de servos do Altíssimo, Deus começa a agir através de nossas vidas, e multidões serão arrancadas das mãos do nosso “inimigo”. Isto é uma obra, que “Satanás” nunca vai querer que se realize em nossas vidas, e para não se cumprir ele vai fazer o possível, mas lembre-se conosco esta os braços forte do senhor. Amem.

 

Alexandre Oliveira 

Postagens populares

Fernando Pessoa.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo…